30 novembro 2013


# ESTOU MUITO TRISTE !!!

Ator morreu em acidente no sul da Califórnia, nos Estados Unidos.
Paul tinha 40 anos e foi estrela da série de filmes 'Velozes e Furiosos'.


Paul Walker em maio de 2013. (Foto: Filipe Carvalho/Reuters)
 
O ator Paul Walker, estrela dos filmes 'Velezoes e Furiosos' ao lado de Vin Diesel, morreu neste sábado (30), aos 40 anos, em um acidente de carro no sul da Califórnia, nos Estados Unidos, informou seu publicitário na conta oficial do ator no Twitter e no Facebook. "Lamentamos confirmar que Paul morreu em um trágico acidente de carro durante um evento benéfico para sua organização Reach Out Worldwide", disseram seus publicitários no Facebook. "Era o passageiro no carro de um amigo, no qual ambos perderam a vida", acrescentaram. A notícia foi publicada inicialmente pelo portal especializado em informação de famosos 'TMZ'. De acordo com o site, o acidente aconteceu em Santa Clarita, ao norte de Los Angeles. Fontes ligadas a Paul disseram ao site que ele estava em um Porsche que bateu em um poste ou árvore. Em seguida, o carro teria pegado fogo. Segundo o departamento de Polícia do condado de Los Angeles, o acidente aconteceu por volta das 15h30 hora local. O ator ficou famoso quando estrelou o filme de 1999 "Varsity Blues", e ficou mundialmente conhecido no papel de Brian O’Connor, na série de filmes “Velozes e Furiosos”. Ele deixa uma filha de 15 anos. Walker filamva atualmente a sétima parte de 'Velozes e Furiosos', franquia que lhe deu a fama no mundo todo graças a seu papel de Brian O'Conner, um ex-policial envolvido em corridas clandestinas de carros. A famosa saga automobilística arrecadou quase US$ 2,4 bilhões nas bilheterias de todo o mundo.
27 novembro 2013

     Não é bem um anjo, mas chega perto de ser um. Aquele ponto onde você encontra paz, onde se sente segura só por está ao lado dele. Sabe o momento que você mais pede um abraço sincero e um colo amigo; então, esse ser quase um anjo tem. Não sei o que ele é, nem de onde veio, mas sei que quando eu preciso ele está ali, logo ali me esperando para me ajudar. Como podem dizer que anjos não existe se ele é quase um? Dar conselhos, te critica, dar atenção, carinho... Talvez seja minha imaginação querendo apenas um desses. E então eu viajo neste sonho com alguém que se tornou tão especial no meu mundo. É incrível, mas não sei explicar como me sinto bem com ele e como eu sou tão eu quando estamos juntos. Pode ser verdade sim que duas pessoas possam se dar tão bem assim. Ele é tipo um anjo, mas não possui asas e não mora no céu. Me pergunto às vezes porque ele caiu bem na minha direção.
     O meu sonho era lindo, ele estava comigo todos os dias, era um amigo para todas as horas, e toda vez que ele partia algo dentro do peito chorava pedindo para que meu anjo ficasse e continuasse me protegendo e então pude perceber que em todos os meus sonhos ele estava lá novamente, ao meu lado. Foi daí que sorrir e aprendi que ele nunca ia embora em quanto eu estivesse sonhando. Não consigo acreditar porque eles não existem se este é tão bom para mim. Eu acredito sim em anjos e minha mãe sempre me falava na existência deles, que mesmo sem querer eles aparecem e nos tocam profundamente. Entram na sua vida para te proteger, te dar a sensação de tranquilidade, conforto, vivem os dias difíceis com você, então ele deve ser verdadeiro. Ou minha imaginação seja tão pura que me faça viver em meus próprios sonhos. Se tudo for ilusão quero continuar dormindo só para te-lo bem perto. Algo mágico que não é desse mundo, são tantas brincadeiras, tantos sorrisos roubados, tantos abraços, tantas conversas que eu pude notar o quanto estava feliz. Ele era meu amigo que surgiu na hora certa, levantou o meu astral e me fez acreditar que é preciso continuar. Foi quando de repente tudo sumiu! Acordei e vi que não era só um sonho, era minha realidade sendo vivida. Mas sabe o que eu andei pensando? Que anjos existem sim e eu tenho um, bem pertinho de mim.
25 novembro 2013
A culpa da minha ansiedade é toda sua. Tic tac tic tac tic tac, batendo no meu peito a conta-gotas. Quero inverter a cronologia das coisas e chegar logo ao final. Quero ver se encontrei aquele amor pra vida toda, se ele me amou cada dia mais. Quero saber como foi o dia do nosso casamento e se a gente continuou se olhando com o mesmo olhar. Quero saber que rosto tiveram os nossos filhos e quantos foram os filhos a quem eu tive que ensinar a andar. Mas você me faz esperar tanto, com uma paciência que eu perdi em algum lugar. 

Quero saber se larguei aquele emprego infeliz pra fazer a tal viagem mirabolante, para aquele lugar desconhecido. Quero saber se tive coragem para isso, por que eu me sinto sempre tão covarde. Quero saber quanta sabedoria acumulei e se finalmente um dia minha mãe veio para perto de mim. Mas você não me dá essa chance, me deixa na angústia de não saber o próximo capítulo desse livro. E é por isso que eu te culpo.

Quero saber quem dividiu a varanda comigo, segurando em silêncio a minha mão. Quero saber quem de nós dois, depois ficou sozinho, e se eu finalmente encontrei um cãozinho que morasse comigo. Quero saber se fui feliz para sempre, se valeu a pena o esforço e a dor, quero saber se aprendi a domar o coração.

Quero saber se encontrei, pelo menos metade, das respostas que procurei, ou se continuei uma questionadora incansável, quero saber se um dia minha cabeça me deu paz de tanta indagação. Sabe o que eu quero saber também? Quando que você vai acelerar o passo, adiantar esses ponteiros e me deixar saber se tudo deu certo, ou não.

Quero saber se peguei o melhor caminho e se troquei aquele carro velho, que era o meu xodó. Quero saber quantas pessoas permaneceram comigo e quantas não. Quero saber quantas coisas deixei inacabadas, quantos medos adquiri ou superei. E o medo de avião? Será que eu deixei? Acho que você poderia me adiantar uns dias para eu saber que gosto tem o amanhã.

Quero saber se virei um barro duro que não molda e ninguém acerta a mão, ou se continuei mudando e me surpreendendo com as novas imagens que vejo no espelho, quero saber quantas novas rugas brotaram dos meus olhos e quantas lágrimas também. Quero saber se consegui, finalmente, dormir direito, se coloquei a felicidade no lugar da frustração e se um dia eu tive coragem de tirar os sonhos do travesseiro. Quero saber.

Mas você continua o seu caminho e, porra, como você anda devagar. Não que eu tenha pressa na velhice, mas eu só queria ir lá no fim e voltar. Só pra acabar com a ansiedade e saber se tudo correu bem.

Vamos fingir que estamos juntos. E que juntos fazemos planos. E que os planos fazem sentido. E que o sentido certo é o que caminho que tomamos. E que, de mãos dadas, tomamos mais um refresco. E que o refresco é a água fria que desce no corpo. E que um corpo sem o outro é metade. E que metade do amor é esforço. E que não é esforço ficar do meu lado. E que o lado direito é onde você dorme. E que dormir é mais do que dividir o metro quadrado. E que nesse quadrado somos inteiros. E inteiros sonhamos quando estamos deitados. E sonhando fingimos que nos amamos. E amando fazemos falsos planos.
Deixa eu te dizer o que eu vou fazer. Vou aprontar. Isso mesmo. Com essa cara que você está vendo, sem vergonha, vou fazer o que eu quero aqui mesmo, na sua frente. Sem pudor nem receios. Não vou sequer te olhar nos olhos. Ignoro sua presença e, com deboche, planejo a minha travessura. Vou inventar um mundo novo e não me importo de sujar minhas mãos, ou pingar tinta na roupa.

Senta, assiste, observa a minha criação. Esse momento é só meu e tem algo muito fascinante acontecendo aqui. Eu sei que você está esperando o final, mas enquanto eu não acabo, congela esse momento insano para sempre. Transforma em matéria esse minuto que não vai se repetir. Aproveita que eu estou criando um mundo novo e guarda, para sempre, essa expressão. 

Eu nem sei desenhar direito, nem sei fazer gente com a devida proporção. Nem tenho várias tintas coloridas e, se minha memória não falha, tenho apenas a cor preta, para você ver a minha limitação. Mas olha o que eu tenho na mão. É uma caneta. E com ela eu posso criar o mundo, no vazio de um papel branco.

Posso inventar que as flores são de cores que elas não são, ou que as meninas são sempre felizes, mesmo tendo palitinhos no lugar das mãos. Posso fazer de conta que minha casa tem uma chaminé e que as árvores são todas iguais, que as borboletas são enormes e que meu jardim não tem portão. Posso desenhar nuvens feito de bolas de algodão. Posso colocar o sol no cantinho da folha, e fingir que todas as folhas secas fazem um tapete no chão. Posso criar um mundo diferente, entende?

Agora, olha para mim de novo e lê o que diz a minha expressão:
"felicidade é ter uma caneta na mão."
Deixa eu te dizer: eu não vou me apaixonar por você. Não importa o quão romântico ou solícito você seja, nem o quanto você se disponha a me ver. Ainda que você percorra qualquer distância ou transponha qualquer obstáculo. Ainda que você reserve toda a sua agenda para mim, ou reserve uma mesa naquele restaurante que eu amo, ou me traga uma lembrança de uma viagem, ou simplesmente se lembre de mim. Não vai acontecer. Mesmo que você diga o quanto sente saudade e como seria bom a gente se encontrar novamente. Mesmo que você saiba meu livro preferido, escute as mesmas músicas que eu e expresse, claramente, seu desejo de ficar junto. Ainda que você me admire e faça planos comigo, eu não vou me apaixonar por você. Não importa, de fato, se seu beijo é perfeito, ou se nos divertimos numa viagem sem destino. Não faz a menor diferença se você me abraça durante a noite ou passa horas no telefone comigo. Não importa se você se doa sem receios, eu não vou me apaixonar por você por um simples motivo: se, para amar tanto é preciso ser inteiro, eu não tenho como amar de novo, porque já me levaram a metade. E até agora eu espero, ansiosa, o dia que vão me devolver. 
22 novembro 2013

Rir é correr risco de parecer tolo. Chorar é correr o risco de parecer sentimental. Estender a mão é correr o risco de se envolver. Expor seus sentimentos é correr o risco de mostrar seu verdadeiro eu. Defender seus sonhos e idéias diante da multidão é correr o risco de perder as pessoas. Amar é correr o risco de não ser correspondido. Viver é correr o risco de morrer. Confiar é correr o risco de se decepcionar. Tentar é correr o risco de fracassar. Mas os riscos devem ser corridos, porque o maior perigo é não arriscar nada. Há pessoas que não correm nenhum risco, não fazem nada, não têm nada e não são nada. Elas podem até evitar sofrimentos e desilusões, mas elas não conseguem nada, não sentem nada, não mudam, não crescem, não amam, não vivem. Acorrentadas por suas atitudes, elas viram escravas, privam-se de sua liberdade. Somente a pessoa que corre riscos é livre.
Todo dia é um novo amanhecer vindo de um novo dia, com novas expectativas e novos objetivos a serem traçados. Cada amanhacer que presencio é sempre o mesmo objetivo, e a mesma espectativa, aquela onde vamos poder sonhar juntos em um lugar onde nada possa nos empedir, o anoitecer chega e eu estou ali com lágrimas percorrendo por toda a minha face apenas sentindo a saudade de alguém que um dia esteve aqui mais hoje não está. Amar se torna pouco, platônico seria o ideal. Você não sabe o que sente, é além de amor, além de todos os sentimentos que um dia foram nomiados, é algo que sua alma florece ao estar bem, e ao estar mal ela corrói, muitas vezes a saída é viver em outro mundo e enxergar tudo com os olhos e não com o coração. Talvez nós juntos sejamos o impossível, mas minha vontade de um dia ser possivel não é apenas um sonho é o que eu almejo de uma realidade. As coisas estão acontecendo, mais de uma coisa pode ter certeza permanece em minha mente. A forma que tiver que acontecer eu não me importo, eu só quero você escondido ou assumido. 
A vida é feita de surpresas onde sua missão é viver, alguns momentos podem durar tão pouco e ficar na sua memória por muito tempo, algumas pessoas podem fazer muito pouca parte da sua vida e ser considerada pra sempre. Imagino um dia em que todas as pessoas tivessem o direito de ser feliz, mesmo que seja só por um momento, para ter a oportunidade de sentir o que realmente desejam e acreditar que sonhos não são bobagens. as vezes você percebe que as aparências enganam e você pode sofrer muito com isso !O tempo é uma coisa que não permite voltar para trás, então só se arrependa do que você não fez, aproveite cada segundinho da vida , pra ficar guardado eternamente em sua memória.



REDAÇÃO DO CONCURSO NA VOLKSWAGEN 
No processo de seleção da Volkswagen do Brasil, os candidatos 
deveriam responder a seguinte pergunta: 'Você tem experiência'? 
A redação abaixo foi desenvolvida por um dos candidatos. 
Ele foi aprovado e seu texto está fazendo sucesso, e ele com 
certeza será sempre lembrado por sua criatividade, sua poesia, e 
acima de tudo por sua alma. 


REDAÇÃO VENCEDORA: 

Já fiz cosquinha na minha irmã pra ela parar de chorar, 
Já me queimei brincando com vela. Eu já fiz bola de chiclete e melequei todo o rosto, 
Já conversei com o espelho, e até já brinquei de ser bruxo. 
Já quis ser astronauta, violonista, mágico, caçador e trapezista. 
Já me escondi atrás da cortina e esqueci os pés pra fora. 
Já passei trote por telefone. 
Já tomei banho de chuva e acabei me viciando. 
Já roubei beijo. Já confundi Sentimentos. 
Peguei atalho errado e continuo andando pelo desconhecido. 
Já raspei o fundo da panela de arroz carreteiro, 
Já me cortei fazendo a barba apressado, já chorei ouvindo música no ônibus.. 
Já tentei esquecer algumas pessoas, mas descobri que essas são as mais difíceis de se 
esquecer. 
Já subi escondido no telhado pra tentar pegar estrelas, 
Já subi em árvore pra roubar fruta. Já caí da escada de bunda. 
Já fiz juras eternas, 
Já escrevi no muro da escola, 
Já chorei sentado no chão do banheiro, 
Já fugi de casa pra sempre, e voltei no outro instante. 
Já corri pra não deixar alguém chorando. Já fiquei sozinho no meio de mil pessoas sentindo 
falta de uma só. 
Já vi pôr-do-sol cor-de-rosa e alaranjado, 
Já me joguei na piscina sem vontade de voltar, 
Já bebi uísque até sentir dormente os meus lábios, 
Já olhei a cidade de cima e mesmo assim não encontrei meu lugar. 
Já senti medo do escuro, já tremi de nervoso, 
Já quase morri de amor, mas renasci novamente pra ver o sorriso de alguém especial. 
Já acordei no meio da noite e fiquei com medo de levantar. 
Já apostei em correr descalço na rua, 
Já gritei de felicidade, 
Já roubei rosas num enorme jardim. 
Já me apaixonei e achei que era para sempre, mas sempre era um 'para sempre' pela 
metade. 
Já deitei na grama de madrugada e vi a Lua virar Sol. 
Já chorei por ver amigos partindo, mas descobri que logo chegam novos, e a vida é mesmo 
um ir e vir sem razão. 
Foram tantas coisas feitas, momentos fotografados pelas lentes da emoção, guardados num 
baú, chamado coração. 
E agora um formulário me interroga, me encosta na parede e grita: 'Qual sua experiência?'. 
Essa pergunta ecoa no meu cérebro: 
experiência...experiência...Será que ser 'plantador de sorrisos' é uma boa experiência? 
Sonhos!!! Talvez eles não saibam ainda colher sonhos! 
Agora gostaria de indagar uma pequena coisa para quem formulou esta pergunta: 
Experiência? 'Quem a tem, se a todo o momento tudo se renova?'. 

17 novembro 2013
Com o tempo a gente aprende que errar é humano, que todos nós erramos e que as vezes mesmo certos temos que abaixar a cabeça e pedir desculpa; E que as vezes é preciso ouvir o que as pessoas tem a dizer; Com o tempo aprendemos a jogar nessa vida, aprendemos que a cada tombo é preciso levantar de cabeça erguida; Aprendemos que nem todas as manhas são de sol, e que nem sempre tudo na vida é como nós queremos; Com o tempo conhecemos pessoas, e descobrimos sentimentos; Com o tempo aprendemos a dar valor a cada segundo que temos, pois aprendemos que em um segundo tudo pode mudar; A vida passa e descobrimos quem são nossos amigos verdadeiros; e as vezes que pessoas desconhecidas te valorizam mais, do que as que estão todos os dias com você; Com o tempo a gente erra mais tambem acerta e mais cedo ou mais tarde, a gente aprende que temos que aceitar cada um como é. E que ninguem é melhor do que ninguém pelo menos nessa vida; Com o tempo a própria vida vai ensinar como viver.
A vida é feita de surpresas onde sua missão é viver, alguns momentos podem durar tão pouco e ficar na sua memória por muito tempo, algumas pessoas podem fazer muito pouca parte da sua vida e ser considerada pra sempre. Imagino um dia em que todas as pessoas tivessem o direito de ser feliz, mesmo que seja só por um momento, para ter a oportunidade de sentir o que realmente desejam e acreditar que sonhos não são bobagens. as vezes você percebe que as aparências enganam e você pode sofrer muito com isso !O tempo é uma coisa que não permite voltar para trás, então só se arrependa do que você não fez, aproveite cada segundinho da vida , pra ficar guardado eternamente em sua memória.
Não sei se dou continuidade nisso, se deixo pra lá, se finjo não sentir nada, se falo tudo de uma vez. Ta dificil e o pior disso tudo não é a minha cabeça confusa, e sim o jeito como você encara tudo isso. Isso sim, é foda de encarar!
O futuro é incerto? sim, pois que graça teria se soubéssemos o que aconteceria amanhã? A vida é feita de momentos únicos, imprevisíveis. São momentos assim que farão a vida se tornar única, são momentos assim, que farão a vida valer a pena e o seu futuro mais ainda.


Eles eram melhores amigos, amantes e almas gêmeas destinadas a estarem juntas, na opinião de todos. Mas, infelizmente, um dia, o destino mudou de ideia vorazmente. — P.S. Eu Te Amo
Mas é claro que o sol vai voltar amanhã mais uma vez, eu sei. Escuridão já vi pior, de endoidecer gente sã, espera que o sol já vem. Tem gente que está do mesmo lado que você, mas deveria estar do lado de lá. Tem gente que machuca os outros, tem gente que não sabe amar, tem gente enganando a gente, veja nossa vida como está, mas eu sei que um dia a gente aprende. Se você quiser alguém em quem confiar, confie em si mesmo. Quem acredita, sempre alcança. Nunca deixe que lhe digam que não vale a pena acreditar no sonho que se tem, ou que seus planos nunca vão dar certo, ou que você nunca vai ser alguém.

14 novembro 2013

Ainda pior que a convicção do não e a incerteza do talvez é a desilusão de um quase. É o quase que me incomoda, que me entristece, que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. Quem quase ganhou ainda joga, quem quase passou ainda estuda, quem quase morreu está vivo, quem quase amou não amou. Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono. 

Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cór, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos "Bom dia", quase que sussurrados. Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz. A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza. O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si. 

Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém,preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer. Pros erros há perdão; pros fracassos, chance; pros amores impossíveis, tempo. De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance. Não deixe que a saudade sufoque, que a rotina acomode, que o medo impeça de tentar. Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive já morreu.

Sempre é preciso saber quando uma etapa chega ao final. Se insistirmos em permanecer nela mais do que o tempo necessário, perdemos a alegria e o sentido das outras etapas que precisamos viver. Encerrando ciclos, fechando portas, terminando capítulos - não importa o nome que damos, o que importa é deixar no passado os momentos da vida que já se acabaram. 

Foi despedido do trabalho? Terminou uma relação? 
Deixou a casa dos pais? Partiu para viver em outro país? 
A amizade tão longamente cultivada desapareceu sem explicações? 

Você pode passar muito tempo se perguntando por que isso aconteceu. Pode dizer para si mesmo que não dará mais um passo enquanto não entender as razões que levaram certas coisas, que eram tão importantes e sólidas em sua vida, serem subitamente transformadas em pó. Mas tal atitude será um desgaste imenso para todos: seus pais, seu marido ou sua esposa, seus amigos, seus filhos, sua irmã, todos estarão encerrando capítulos, virando a folha, seguindo adiante, e todos sofrerão ao ver que você está parado. 

Ninguém pode estar ao mesmo tempo no presente e no passado, nem mesmo quando tentamos entender as coisas que acontecem conosco. O que passou não voltará: não podemos ser eternamente meninos, adolescentes tardios, filhos que se sentem culpados ou rancorosos com os pais, amantes que revivem noite e dia uma ligação com quem já foi embora e não tem a menor intenção de voltar.

As coisas passam, e o melhor que fazemos é deixar que elas realmente possam ir embora. Por isso é tão importante (por mais doloroso que seja!) destruir recordações, mudar de casa, dar muitas coisas para orfanatos, vender ou doar os livros que tem. Tudo neste mundo visível é uma manifestação do mundo invisível, do que está acontecendo em nosso coração - e o desfazer-se de certas lembranças significa também abrir espaço para que outras tomem o seu lugar. 

Deixar ir embora. Soltar. Desprender-se.
Ninguém está jogando nesta vida com cartas marcadas, portanto às vezes ganhamos, e às vezes perdemos. Não espere que devolvam algo, não espere que reconheçam seu esforço, que descubram seu gênio, que entendam seu amor. Pare de ligar sua televisão emocional e assistir sempre ao mesmo programa, que mostra como você sofreu com determinada perda: isso o estará apenas envenenando, e nada mais.

Não há nada mais perigoso que rompimentos amorosos que não são aceitos, promessas de emprego que não têm data marcada para começar, decisões que sempre são adiadas em nome do “momento ideal”. Antes de começar um capítulo novo, é preciso terminar o antigo: diga a si mesmo que o que passou, jamais voltará. 

Lembre-se de que houve uma época em que podia viver sem aquilo, sem aquela pessoa - nada é insubstituível, um hábito não é uma necessidade. Pode parecer óbvio, pode mesmo ser difícil, mas é muito importante. Encerrando ciclos. Não por causa do orgulho, por incapacidade, ou por soberba, mas porque simplesmente aquilo já não se encaixa mais na sua vida. Feche a porta, mude o disco, limpe a casa, sacuda a poeira. Deixe de ser quem era, e se transforme em quem é.

Existe somente uma idade para a gente ser feliz, 
somente uma época na vida de cada pessoa 
em que é possível sonhar e fazer planos 
e ter energia bastante para realizá-las 
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos. 

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente 
e desfrutar tudo com toda intensidade 
sem medo, nem culpa de sentir prazer. 

Fase dourada em que a gente pode criar 
e recriar a vida, 
a nossa própria imagem e semelhança 
e vestir-se com todas as cores 
e experimentar todos os sabores 
e entregar-se a todos os amores 
sem preconceito nem pudor. 

Tempo de entusiasmo e coragem 
em que todo o desafio é mais um convite à luta 
que a gente enfrenta com toda disposição 
de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO, 
e quantas vezes for preciso. 

Essa idade tão fugaz na vida da gente 
chama-se PRESENTE 
e tem a duração do instante que passa.

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo. E que posso evitar que ela vá à falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver, apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos. É saber falar de si mesmo. É ter coragem para ouvir um “não”. É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.


...Um dia descobrimos que beijar uma pessoa para esquecer outra, é bobagem. 
Você não só não esquece a outra pessoa como pensa muito mais nela... 
Um dia nós percebemos que as mulheres têm instinto "caçador" e fazem qualquer homem sofrer ... 
Um dia descobrimos que se apaixonar é inevitável... 
Um dia percebemos que as melhores provas de amor são as mais simples... 
Um dia percebemos que o comum não nos atrai...
Um dia saberemos que ser classificado como "bonzinho" não é bom... 
Um dia perceberemos que a pessoa que nunca te liga é a que mais pensa em você... 
Um dia saberemos a importância da frase: "Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas..." 
Um dia percebemos que somos muito importante para alguém, mas não damos valor a isso... 
Um dia percebemos como aquele amigo faz falta, mas ai já é tarde demais... 
Enfim... 
Um dia descobrimos que apesar de viver quase um século esse tempo todo não é suficiente para realizarmos 
todos os nossos sonhos, para beijarmos todas as bocas que nos atraem, para dizer o que tem de ser dito... 
O jeito é: ou nos conformamos com a falta de algumas coisas na nossa vida ou lutamos para realizar todas 
as nossas loucuras...
Quem não compreende um olhar tampouco compreenderá uma longa explicação.
Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela.

Percebe também que aquele alguém que você ama (ou acha que ama) e que não quer nada com você, definitivamente não é o "alguém" da sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuidar de você e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você.

O segredo é não correr atrás das borboletas... é cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!

eu

eu

Quem sou eu

Oi, eu sou a Stephany Poubel e esse é oficialmente meu cantinho na internet. Hoje tenho 20 anos e moro no Rio de Janeiro. Sou formada em Gestão de Recursos Humanos, mas meu sonho mesmo é ser escritora. Minha vida às vezes parece roteiro de filme e eu adoro escrever, sempre gostei de compartilhar com outras pessoas o bom da vida. Sou apaixonada por musculação, porém minha dieta não é totalmente balanceada. Minha base é minha família, porém são eles que me apoiam. Meu blog se transformou num lugar onde compartilho as coisas mais legais que vejo por aí, e sempre serei uma eterna aprendiz!

Seguidores

Arquivo do blog

Postagens populares

Tecnologia do Blogger.