14 janeiro 2014
 Chegara um convite de casamento em sua casa, e dentro não havia só um simples convite bonito, com letras garrafais e douradas, continha uma carta num papel meio envelhecido e até com marcas d'água, talvez de lágrimas, em que manchavam o papel.

Chris, 
não sei se está gostando de receber esta carta, esse convite e muito menos se vai aparecer. Faz anos que não nos vemos, nos falamos, não sei se está casado, com filhos, ou está sozinho jogado num canto, se está com um trabalho promissor, se está ganhando milhões, muito menos se você se lembra de mim como eu de você. Essa carta pode não significar nada porque está feliz demais do jeito que está levando a vida agora, talvez nem lembre meu nome, talvez nem abra o convite e talvez essas palavras tão sinceras sejam jogadas no lixo.
Como eu achei o seu endereço? Ah, não foi fácil, fiz tantas pesquisas, sabe como é, consegui realizar meu sonho e sou uma estilista reconhecida... Já deve ter me visto algumas vezes na tv, e minhas roupas em algumas premiações e será que se lembrou quem eu era?Mas voltando ao assunto, tenho mil contatos que podem encontrar endereços em minutos, tudo bem que foi meio complicado explicar pra quê eu queria o endereço de um desconhecido aleatório, como eles chamam.
Você sabia que podia ser você né? É, você lá na frente do altar, você esperando ansiosamente por mim enquanto toca a música, me vendo linda com meu vestido lilás — achou que seria branco? hahaha, sou diferente, você sempre soube disso — , você com o sorriso no rosto a cada passo meu e construindo uma vida até que a morte nos separe. Aliás, podia ser você que eu já estou morando junto, você namorando há 5 anos e compartilhando meus momentos bons e ruins, afinal, você sempre gostou de cuidar de mim não é? Era tão doce os sacrifícios que fazia por mim. Podia ser você, se não fosse tão orgulhoso com os seus sentimentos, não correr atrás do que quer, deixar a vida levar, deixar a brisa soprar e te levar para longe. Por que? Por que não assumiu os seus sentimentos? Por que me fez esperar uma semana pela resposta quando te perguntei "Você por acaso estava gostando de mim?" para no momento que nos encontramos, você só queria fugir das palavras, da pergunta, na defensiva. Quando finalmente falou, disse que só gostava como amiga e só era bom me beijar, e sentir o meu corpo no seu. Seus olhos não diziam isso, a maneira como foi carinhoso também não, fora carinhoso como nunca antes.
Minha melhor amiga dissera que iria se arrepender, e você só disse "eu sei" e não fizera NADA, nada. Ainda tento entender certas palavras que andam em lados contrários de algumas atitudes, nunca me esquecerei do seu medo tão grande em se abrir que disse "gosto mas não gosto sabe?", guardo uma raiva até hoje, sempre falo dessa história com todos os amigos e todos se indignam junto comigo.
Você acha que na vida real o padre diz "Se alguém tem algo contra..." e todo blablabla de filme? E se tivesse no minimo teria coragem de se levantar? Coragem mesmo se levasse um não? Ah, faria meu dia se levantasse, independente da minha resposta. Eu acho que me aliviaria de todos esses anos pensando em tantos porquês.
Com carinho, 
Elena

0 comentários:

eu

eu

Quem sou eu

Oi, eu sou a Stephany Poubel e esse é oficialmente meu cantinho na internet. Hoje tenho 20 anos e moro no Rio de Janeiro. Sou formada em Gestão de Recursos Humanos, mas meu sonho mesmo é ser escritora. Minha vida às vezes parece roteiro de filme e eu adoro escrever, sempre gostei de compartilhar com outras pessoas o bom da vida. Sou apaixonada por musculação, porém minha dieta não é totalmente balanceada. Minha base é minha família, porém são eles que me apoiam. Meu blog se transformou num lugar onde compartilho as coisas mais legais que vejo por aí, e sempre serei uma eterna aprendiz!

Seguidores

Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.